Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
2




Partilhe este Site...





Total de visitas: 426801
COMO SE PROTEGER DE PLÁGIO
COMO SE PROTEGER DE PLÁGIO

 

Caros e queridos escritores, é com muita preocupação que venho adverti-los sobre algo que percebo sempre ocorrer. Não raro, próprio sítio onde publicamos nossos textos nos adverte acerca da necessidade de registrarmos os mesmos na Biblioteca Nacional (FNB). É só procurar!

Esta é a ÚNICA forma de o autor se resguardar no que tange aos direitos de autoria. Eu já recebi emails de colegas que tiveram obras plagiadas. A única forma de provarmos a autoria de nossos próprios textos é registrando-os na repartição pública mencionada, sendo que eu pessoalmente sempre sigo os mesmos passos:

1. A cada montante de poemas escolhido (no meu caso, como sou louco por escrita, o montante é de 1.240 poesias a cada 2 meses, aproximadamente) eu imprimo tudo já revisado por mim mesmo. Sempre tem que ser por gênero (ou prosa ou poemas (sonetos, haikais, indrisos, rondéis etc), não podendo ser misturados os gêneros jamais.

2. Entro no site da Fundação Biblioteca Nacional e imprimo a GRU (guia de pagamento), pondo o meu nome, CPF e o valor de 20,00 (já que somos pessoas físicas). IMPORTANTE: Não importa o número de textos que você tenha e queira registrar, se 2 textos ou 2.400 ou 53.245.245. O valor é sempre 20,00, desde que num calhamaço só.

3. Imprimo, do mesmo site, o formulário para o registro de obra.

4. Preencho o formulário com os meus dados (endereço, identificação, pseudônimo, nome da obra, número de páginas etc.).

5. Pago a taxa no Banco do Brasil (os ditos 20,00) em favor da Fundação Biblioteca Nacional.

6. Rubrico todas as páginas (não pode haver mais que um texto por página nem texto no verso das folhas).

7. Assino a última página.

8. Numero todas as páginas.

9. Agora passou a ser proibido encadernar a obra. Se ficar muito grossa a obra, não dando pra encadernar, eu furo toda ela e passo o barbante pelos dois furos. A seguir...

10. ...Eu compro uma pasta (dessas de escola, pra pôr material dentro) e ponho tudo dentro. Se o material for extenso demais (e é), eu não compro pasta, mas sim um arquivo de revistas.  Eu pessoalmente colo velcro nas pontas e o grampeio no arquivo, para dar firmeza e não soltar todo o material no chão (porque aí nem barbante adiantaria pra prendê-lo, já que o peso é estupidamente grande).

11. Ah, claro, antes faço capa e índice.

12. Depois disso tudo eu tiro cópia da identidade, CPF e comprovante de residência.

13. Levo tudo à Biblioteca Nacional, no Centro do Rio, no meu caso. Levo inclusive os originais dos documentos e o comprovante de pagamento. 

14. Entrego tudo lá e pego o protocolo. Em até 90 dias eu receberei o certificado de registro.

Eu bolei este passo a passo porque vi pessoas desesperadas por terem publicado centenas de textos sem registrá-los antes. Quanto mais cedo se der o registro, melhor. Ainda há tempo! Mesmo porque hoje em dia até poemas as pessoas plagiam como se elas as tivessem   parido!!!

 

Para qualquer esclarecimento, estou à disposição no meu email: oliveira.caruso@gmail.com

Forte abraço a todos!

topo